“Na Itália, as indústrias criativas são a terceira maior fonte de empregos, maior do que os setores de alimentos, automóveis, imóveis e bens de luxo” (Jean-Michel Jarre – CISAC)

Jean Michel Jarre

No último dia 24 de janeiro o jornal italiano La Stampa publicava matéria sobre Jean- Michel Jarre, presidente da CISAC, Confederação Internacional de Autores e Compositores, à qual a AMAR é filiada. Jarre, instrumentista, compositor e produtor francês, é conhecido como um dos pioneiros do estilo new age e da música eletrônica, combinando em suas apresentações música e efeitos visuais.

A matéria teve por objetivo divulgar o estudo Italia Creativa produzido pela SIAE, nossa congenere italiana, destacando a importância da indústria criativa no país. O estudo mostra que, na Itália, esse setor, em termos econômicos, é o terceiro maior do país; mais relevante que as indústrias de alimentos, automobilística, de imóveis e de bens de luxo.

Na entrevista, celebrando “o extraordinário poder e o potencial das indústrias criativas na Itália”, Jarre destacou a missão da CISAC na proteção dos direitos autorais e na promoção dos repertórios de todos os autores italianos. E aproveitou a oportunidade para abordar as remunerações autorais (Transfer of value), chamando a atenção para a necessidade de encontrar uma solução para as falhas no ambiente digital, para que os criadores possam ser remunerados de forma justa pelo seu trabalho. E segundo a CISAC, o estudo mencionado coincide com proposta de revisão das instituições da União Européia de uma nova proposta para o mercado digital.

Com relação ao Brasil, fazemos nossas as palavras do presidente da CISAC.

Fonte: music-week-main-image


Nº 134 | 02/02/17 | Pág. 3