I CONCURSO DE COMPOSIÇÃO – FESTIVAL DE MÚSICA CONTEMPORÂNEA BRASILEIRA EDINO KRIEGER

Local do Festival: Florianópolis, 14 a 23 de setembro de 2017.

O Festival de Música Contemporânea Brasileira Edino Krieger promove o I Concurso de Composição que selecionará obras de solistas e/ou conjuntos instrumentais de câmara para serem apresentadas durante o evento. A iniciativa busca incentivar a renovação da música contemporânea nacional e revelar novos talentos, incluindo na premiação a estreia das composições durante o Festival e gravação audiovisual de alta qualidade das obras selecionadas. Os trabalhos deverão ser enviados para avaliação até 15 de maio.

As categorias aceitas são:

  1. Composições para solistas ou duos.
  2. Grupos de câmara com 3 a 10 intérpretes, sendo que todas as obras deverão ser escritas para: piano, violino, viola, violoncelo e/ou contrabaixo.

Cada proponente poderá concorrer com até duas composições. Acesse o edital.

EDITAL DO CONCURSO DE COMPOSIÇÃO

CRONOGRAMA

15 de maio de 2017 – Prazo final para envio das obras pelo site.

16 de maio a 10 de junho de 2017 Avaliação das obras.

12 de junho de 2017 – Publicação do resultado no site.

FESTIVAL MCB EDINO KRIEGER

FESTIVAL MCB EDINO KRIEGER

INSCREVA-SE


FESTIVAL MCB EDINO KRIEGER

O Festival de Música Contemporânea Brasileira Edino Krieger visa criar um espaço para eternizar a figura do compositor Edino Krieger, um grande nome da música brasileira atual, na história e na agenda cultural do estado de Santa Catarina. Além de homenagear o compositor catarinense, o projeto busca também criar oportunidades de valorização e promoção da criação artística de todo o país, em especial do estado de Santa Catarina. Sua estrutura apresenta discussões e recitais com obras do compositor, contando também com sua presença durante o evento e sua participação no recital comentado realizado na segunda semana do Festival.

Edino Krieger

Edino Krieger

Edino Krieger, natural de Brusque, é um dos compositores mais importantes no desenvolvimento da música brasileira nos séculos 20 e 21. Além de suas composições fazerem parte do repertório das maiores casas de concertos do país e do mundo, seu trabalho também se destaca como crítico musical, produtor e promotor da música contemporânea como um todo. Foi idealizador do Festival de Música da Guanabara em 1969, hoje conhecido como as Bienais de Música Brasileira Contemporânea do Rio de Janeiro.